segunda-feira, 4 de julho de 2016

penas?

guardamos penas
como depenadores de seres alados
que, afinal, somos nós
perdendo as asas
a cada pena arrancada
sangrada
sofrida
perdida
quebrando sonhos de vida
 
vivamos, apenas
deixando as asas
cumprir o voar
 
sorriamos, sem penas
vivendo, crescendo
a cada inspirar

Sem comentários:

Enviar um comentário