domingo, 13 de abril de 2014

37


trinta e sete cêntimos de caca*

Não que a “obrigação” me prenda, mas, acho simpático telefonar aos familiares que fazem anos… mas, ligar e, ainda que a chamada não se prolongue, ao fim de um minutozeco já me estar a repetir, e o aniversariante também, em frases da treta… é triste!
E, então, penso nesse hábito social da simpatia… mas, porque raio me dá para ser simpática para com quem nunca passa da conversa de circunstância comigo?
bardamerda, já dizia uma familiar muito querida, a quem não posso telefonar e não sei se me ‘ouve’ no plano em que está destas vidas…
» gastemos a energia no que / em quem importa!
» ignoremos os laços de sangue – não podem ser mandativos!
» demos oportunidade aos que se cruzam connosco e, verdadeiramente, queiram ser nossos interlocutores nesta vida!
* a mísera duração de um telefonema para alguém que não vejo há muito…

Sem comentários:

Enviar um comentário