terça-feira, 3 de dezembro de 2013

e vamos deixá-lo morrer?



Dei por mim a procurar no facebook os conhecidos recém-licenciados…
olhei para a sua “localização” e…

foi feita a sua vontade, bárbaros que nos (des)governam!
quase todos estão fora do país…

enquanto nós enlouquecemos de trabalhos inglórios,
enquanto nós corremos para a fome,
enquanto nós adoecemos por inacessibilidade a cuidados básicos,
enquanto tantos reduzem medicamentos ou os cortam de vez,
enquanto sufocamos num jardim à beira-mar plantado,
uns energúmenos, que vivem no mundo imaginário erguido com suor, lágrimas e sangue, de todos menos deles...
colhem as flores e vendem-nas para encher seus cofres,
mas não regam o jardim e deixam murchar as flores silvestres, as mais belas, sinceras,

adeus, Portugal
que morres

Sem comentários:

Enviar um comentário