sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Quando a alma não cabe no corpo…


…temos de encontrar um ponto de fuga…
Porque a alma não pára, não apaga, não descansa…
Se este será o meu ponto de fuga…
…nem sei,
mas hoje não pude prendê-la!
não pude deixá-la apertada, no meio do desconforto do dia, dos dias, de toda uma vida sem fuga…

Não pensem, aqueles que por aqui passarem, que vão encontrar “obras primas”, textos-perfeitos, ou qualquer coisa mais do que o meu pensar!
Sou só eu a abrir as portas à alma, a deixá-la transparecer, fluir, …para não morrer!

…e

…o que escreva
…deixará de o ser,
nesse mesmo momento,
…passando a ser o que cada um ler…
…nada mais,
…esperando ter um sentido para cada um dos que aqui espreite!

Porque a alma já não me cabe no corpo, faz muito...
mas, só agora ouso
caminhar por este espaço de busca de pensamentos…

Libertem as almas!

2 comentários: