sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Amizade

Por vezes
Não sei se deva
se não deva dever
se deva fazer o que oiço
ou o que parece ser 

Entre o que sinto
e o que pressinto
a lacuna pode ser imensa
mas se sentirei o que dizem?
mas se sentirei o que oiço? 

Esconder,
o erro que mais cometemos,
e que não vemos cometer?
a estratégia mais utilizada,
e que menos nos deixa viver? 

Ajuda,
pedida por olhos,
por timbres de voz;
escondida por sorrisos treinados,
por palavras de uso abusado… 

a mão
quando a devemos estender?
quando a devemos conter?
quando será beijada?
quando será arranhada?

Ser
amigo
persistente?
preocupado e falante?
desistente, para não insistente?

Sem comentários:

Enviar um comentário